Home

|

|

Gás Fosfina

Gás Fosfina

Gás Fosfina

CARACTERÍSTICA TÉCNICA DO GÁS

Fosfina

Fosfina é o nome comum para o hidreto de fósforo (PH3), também conhecido pelo seu nome IUPAC Fosfano e, eventualmente, Fosfamina.

À pressão ambiente é um gás incolor altamente inflamável cujo ponto de ebulição é de -88 °C. A fosfina pura é inodora, mas em seu estado técnico apresenta um cheiro bem desagradável de peixe podre.

COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES

APARÊNCIA

É um gás incolor.

Nome Fosfina, Phosphine

Outros nomes Fosfano, Fosfina, Fosfamina, Hidreto de fósforo

N°  CAS 7803-51-2

Massa Molar 34 g/mol¹

Fórmula Química H3P

Forma Molecular Piramidal

Classificação Toxicológica Extremamente inflamável (F+)

SINÔNIMOS: Fosforeto de hidrogênio, hidreto de fósforo, hidrogênio fosforado, tri-hidreto de fósforo.

CLASSIFICAÇÃO E ROTULAGEM DE PERIGO

RISCO

Saúde

Inflamabilidade

Reatividade

4 1 4

GRAU

4       Extremo

3       Grave

2       Moderado

1       Leve

0       Mínimo

APLICAÇÕES

A fosfina é utilizada principalmente na indústria eletrônica para dopagem de silício para obtenção de semicondutores
com propriedades especiais. Na indústria química é utilizada na preparação de compostos anti-chama.

MEDIDAS DE PRIMEIROS SOCORROS

INALAÇÃO

Altamente tóxico. Pode ser fatal se inalado. Os efeitos incluem irritação no trato respiratório e pulmões, dor no peito, dificuldade de respirar, fadiga, dor de cabeça, dor abdominal, náusea, vômitos, diarreia, sonolência, tonturas, convulsões e até colapso. O intervalo entre a exposição e o aparecimento dos sintomas depende da concentração do gás e da duração da exposição. Os sintomas podem aparecer em até 48 horas.

SE INALADO OU SUSPEITA DE ALGUMA EXPOSIÇÃO, remova a vítima imediatamente para local com ar fresco utilizando equipamento autônomo de respiração. Se não estiver respirando, administre respiração artificial. Se a respiração estiver difícil, uma pessoa qualificada pode administrar Oxigênio. Afrouxar as roupas apertadas (ex.: colarinho, gravata, cinto ou cós). Chame um médico imediatamente. Manter sob observação médica. Considere qualquer exposição como uma dose potencialmente tóxica.

CONTATO COM OS OLHOS

Nenhum efeito esperado do vapor. O contato com o líquido pode causar congelamento.

Em caso de contaminação por respingo, imediatamente banhe os olhos com água corrente durante 15 minutos, no mínimo.  Mantenha as pálpebras abertas e longe do globo ocular para assegurar que toda a superfície seja completamente enxaguada. Procure imediatamente um médico, de preferência um oftalmologista.

CONTATO COM A PELE

Nenhum efeito esperado do vapor. O contato com o líquido pode causar congelamento.

Se exposto ao líquido, evite respirar o vapor. Lave bem com água corrente a área atingida e aqueça com água morna (não exceder 41o C). Em caso de grande exposição, remova as roupas e sapatos enquanto banha a vítima com água morna. Chame um médico imediatamente.

INGESTÃO

É uma maneira improvável de exposição, mas o congelamento dos lábios e da boca pode resultar do contato com o líquido. Este produto é um gás a temperatura e pressão normal.

PROTEÇÃO PARA O PRESTADOR DE SOCORROS

Se houver suspeitas de que os vapores do produto podem estar presentes, o socorrista deve usar um equipamento autônomo de respiração. Nenhuma ação deve ser tomada que envolva qualquer risco pessoal ou sem treinamento apropriado.

SINTOMAS E EFEITOS MAIS IMPORTANTES, AGUDOS OU TARDIOS

  • Quando inalado, a Fosfina libera fósforo inorgânico. Superexposição repetida ao fósforo pode resultar em anemia, bronquite e distúrbios gastrointestinais.
  • Pode causar danos aos rins, fígado e coração. Também podem ocorrer danos ao sistema nervoso central e arritmia cardíaca.
  • A inalação de vapores ou névoa pode agravar a asma e doença pulmonar inflamatória e fibrótica. – Os indivíduos com insuficiência renal pré-existente, problemas no coração, fígado ou doença do sistema nervoso podem ter o risco aumentado quando expostos a este produto.

NOTAS PARA O MÉDICO

  • A Fosfina é um irritante pulmonar grave; atraso no aparecimento de edema pulmonar pode ocorrer.  – Produz sintomas de intoxicação grave dentro de várias horas; no entanto, os sintomas podem ser retardados por até 48 horas.
  • Órgãos com maiores necessidades de oxigênio parecem ser especialmente sensíveis a danos.
  • Não há antídoto específico.
  • O tratamento da superexposição deve ser dirigido para o controle dos sintomas e das condições clínicas do paciente.

MEDIDAS DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO

Meios de extinção

Gás inflamável. Pode formar mistura explosiva com o ar e agentes oxidantes. Pode inflamar espontaneamente em contato com o ar ambiente.  Utilize extintores de CO2, pó químico seco ou jatos de água em forma de neblina. Retire todo o pessoal da área de risco. Não se aproxime da área de risco sem equipamento autônomo de respiração e roupas protetoras. Imediatamente resfrie os cilindros com jatos de água em forma de neblina uma distância segura, tomando cuidado para não extinguir as chamas. Remova as fontes de ignição se não apresentar riscos. Se as chamas forem acidentalmente extintas, re-ignições explosivas podem ocorrer.  Reduza os vapores tóxicos com jatos de água em forma de neblina.

Perigos específicos da mistura ou substância

Gás liquefeito, tóxico e inflamável sob pressão.

Forma mistura explosivas com o ar e agentes oxidantes.

Os cilindros podem se romper devido ao calor do fogo.

Vapores inflamáveis podem se propagar do vazamento criando atmosferas explosivas.

Nenhuma parte do cilindro deve estar sujeita a temperaturas maiores que 52 ºC

Todos os cilindros são providos de um dispositivo de alívio de pressão projetado para aliviar o conteúdo quando expostos a temperaturas elevadas.

Vapores podem causar explosão ou serem inflamadas por lâmpadas piloto, outras chamas, cigarros, faíscas, aquecedores, equipamentos elétricos, descargas estáticas ou outras fontes de ignição em locais distantes do ponto de manuseio do produto.

Para proteger pessoas de fragmentos e de vapores tóxicos, se ocorrer uma ruptura do cilindro, evacue a área se o fogo não puder ser controlado imediatamente.

Medidas de proteção da equipe de combate a incêndio

Nenhuma ação deve ser tomada que envolva qualquer risco pessoal ou sem formação adequada.  Equipamento autônomo de respiração operado em pressão positiva e roupa de proteção completa para combate a incêndio. Antes de entrar nas áreas, especialmente confinadas, verifique a atmosfera com um equipamento adequado (ex. Explosímetro).

MEDIDAS DE CONTROLE PARA DERRAMAMENTO OU VAZAMENTO

PRECAUÇÕES PESSOAIS

Para o pessoal que não faz parte dos serviços de emergência

  • Imediatamente retire-se da área de risco.
  • Gás tóxico e inflamável pode se propagar do vazamento.
  • Forma misturas explosivas com o ar.

Para o pessoal que de serviços de emergência

  • Antes de entrar nas áreas, especialmente confinadas, verifique a atmosfera com instrumento adequado (ex. explosímetro).
  • Equipamento autônomo de respiração de pressão positiva e macacão retardante de chama é necessário para entrar em áreas confinadas.
  • Interrompa o vazamento se não apresentar riscos.
  • Reduza vapores com neblina ou jatos finos de água.
  • Remova todas as fontes de ignição, se não houver risco.
  • Ventile a área do vazamento ou remova os cilindros com vazamento para área bem ventilada.

PRECAUÇÕES PARA O MEIO AMBIENTE

  • Descarte qualquer produto, resíduo, recipiente ou invólucro de acordo com os Regulamentos Locais, Estaduais e Federais existentes.
  • Mantenha o pessoal não autorizado distante da área de risco.
  • Previna para que o resíduo não contamine o ambiente.

MÉTODOS PARA LIMPEZA

Mantenha o pessoal não autorizado distante da área de risco. Libere o conteúdo vagarosamente para a atmosfera. Permaneça a favor do vento. Não jogue água diretamente no ponto de vazamento. Devido à dispersão do produto no ambiente, recomenda-se que a área seja ventilada até a liberação do local.

MANUSEIO E ARMAZENAMENTO

MANUSEIO SEGURO

  • Não respire o gás.
  • Não deixe que os vapores ou o líquido entrar em contato com os olhos, pele ou roupas.
  • Utilize o produto somente em áreas bem ventiladas.
  • Pode formar misturas explosivas com o ar.
  • Instalar chuveiro de emergência e lava olhos próximos a área de manuseio do produto.
  • Não entrar em áreas de armazenamento e espaços confinados, a menos que adequadamente ventiladas.
  • Manter afastado de agentes oxidantes e outros materiais inflamáveis.
  • Proteja os cilindros contra danos físicos. Manter afastado do calor, faíscas e chamas.
  • Atarraxe firmemente o capacete com as mãos antes da movimentação do cilindro.
  • Utilize em carrinho de cilindros para movimentá-los; não arraste, role ou deixe-o cair.
  • Os equipamentos elétricos devem ser protegidos da formação de centelha ou a prova de explosão e utilize somente ferramentas à prova de faíscas.
  • Aterre todos os equipamentos.
  • O controle de vazamento deve ser realizado com água e sabão, nunca use fogo.
  • Abra a válvula do cilindro o mínimo possível para garantir uma vazão aceitável a sua operação, isso vai permitir que você a feche tão rápido quanto possível em caso de emergência.
  • Não abra a válvula do cilindro por mais de 1 ½ volta.
  • Nunca tente levantar um cilindro pelo capacete; o capacete existe apenas proteger a válvula. – Nunca insira qualquer objeto (ex. chave de boca, chave de fenda) dentro da abertura do capacete; isto pode causar dano a válvula, e consequentemente um vazamento. Use uma chave ajustável para remover capacetes apertados ou enferrujados.
  • Abra a válvula lentamente. Se estiver muito dura, descontinue o uso e entre em contato com seu fornecedor.
  • Não utilize o cilindro como parte de um circuito elétrico ou para formação de um arco elétrico. O efeito produzido por um arco elétrico na parede do cilindro poderá levá-lo a ruptura.

PREVENÇÃO DA EXPOSIÇÃO DO TRABALHADOR

  • Utilizar EPI.
  • Não comer, beber ou fumar na área onde o produto for manuseado, produzido ou armazenado. – Lavar as mãos após manuseio deste produto, antes de entrar em áreas de alimentação.

CONDIÇÕES DE ARMAZENAMENTO SEGURO, INCLUINDO QUALQUER INCOMPATIBILIDADE

  • Armazene em locais com ventilação adequada.
  • Mantenha os cilindros de Fosfina, longe de Oxigênio e outros agentes oxidantes, a uma distância mínima de 6,1m ou use uma barreira de material não combustível. Essa barreira deve ter no mínimo 1,53m de altura e resistência ao fogo de no mínimo ½ hora.
  • Assegure-se de que os cilindros estejam fora de risco de queda ou da possibilidade de roubo.
  • Cilindros são projetados de modo que a válvula seja mantida com o capacete quando fora de uso.
  • Identifique a área de armazenamento com placas “NÃO FUME OU ACENDA CHAMAS”.
  • Não devem existir fontes de ignição no local.
  • Todos os equipamentos elétricos na área de estocagem devem ser a prova de explosão.
  • As áreas de estocagem devem ter códigos nacionais de eletricidade para Classe 1 em áreas de risco.
  • Não permita estocagem em temperaturas maiores que 52o C (125o F).
  • Armazene separadamente os cilindros cheios dos vazios.
  • Use um sistema de rodízio, para prevenir o estoque de cilindros cheios por longos períodos.

CONTROLE DE EXPOSIÇÃO E PROTEÇÃO INDIVIDUAL

Parâmetros de controle

Limites de exposição ocupacional:

  • Nome químico comum ou nome técnico

         Fosfina

  • Limite de Exposição (NR-15)

         0,23 ppm

  • ACGIH (2014)

         0,3 ppm

Nota: O valor limite de tolerância deve ser entendido como um guia no controle dos riscos à saúde, e não

como uma divisão entre concentrações seguras e perigosas

      IDLH= 50 ppm

Indicadores Biológicos: Não avaliado.

Medidas de controle de engenharia:

Exaustão Local Utilize sistema de exaustão local, à prova de explosão, para manter a concentração de gases e fumos abaixo do Limite de Exposição (LE) nas zonas de respiração dos trabalhadores.

Mecânica (Geral): Não recomendado. Ver especiais.

Especiais: Use somente em sistema fechado. O sistema deverá ser à prova de explosão, resistente a corrosão e ventilação forçada.

Outros: Não aplicável.

Medidas de proteção pessoal:

Proteção dos olhos/face:

Usar óculos de segurança com proteção lateral e lentes incolores para manuseio do cilindro. Se houver a possibilidade de contato com o produto deve-se utilizar protetor facial ou óculos de ampla visão.

Proteção da pele e do corpo:

Utilizar luvas de raspa para manuseio dos cilindros. Quando houver a possibilidade de contato com o produto, utilize no mínimo os seguintes EPIs:

Luvas de Neoprene para manuseio do produto;

Roupa de proteção resistente ao produto;

Calça e camisa de manga longa, todos 100% algodão;

Sapato de segurança com biqueira de aço e protetor de metatarso; – capacete de segurança.

Nunca toque em partes elétricas ligadas, durante as operações de solda e corte.

Proteção respiratória:

Use equipamento autônomo de respiração quando trabalhar em espaços onde a ventilação ou exaustão local não permitir que a exposição do trabalhador fique abaixo do Limite de Exposição da Fosfina.

Perigos térmicos:

Nenhuma recomendação adicional para uso deste produto.

PROPRIEDADES FÍSICO-QUÍMICAS

  • Aspecto:  Gás incolor na pressão e temperatura normais
  • Odor:  Semelhante a peixe em decomposição
  • pH:  Não aplicável
  • Ponto de Fusão a 1 atm:  – 133,78o C (- 208,8o F)
  • Ponto de Ebulição a 1 atm:  – 87,74º C (- 125,93º F)
  • Ponto de Fulgor:  Não aplicável
  • Taxa de Evaporação (Acetato de Butila = 1):  Alto
  • Limite de Inflamabilidade no Ar, % em Volume:
  •  Inferior:   1,2 %
  •  Superior:  Desconhecido
  • Pressão de Vapor a 20 ºC:  607,4 psia (4188 kPa abs)
  • Peso Específico do vapor a 21,1º C e 1 atm:  1,408 kg/m3 (0,0879 lb/ft3)
  • Densidade (ar = 1) a 25,0º C:   1,18
  • Solubilidade em Água vol/vol a 17º C (62,6º F):  0,26%
  • Coeficiente de Partição: n-octano/água:  Não avaliado.
  • Temperatura de Auto-Ignição:      37,8° C*
  • (*) A Fosfina pura possui a temperatura de autoignição em aproximadamente 38° C, porém devido a presença de outros hidreto fosfóricos, particularmente a Difosfina (P2H4), como impureza, a Fosfina as vezes há a ignição espontaneamente na temperatura ambiente (IPS INCHEM online).
  • Temperatura de decomposição:  365° C (<689° F)
  • Viscosidade:  Não aplicável
  • Percentagem de matéria volátil em volume:  100 %
  • Peso Molecular:  33,998
  • Fórmula:  PH3

ESTABILIDADE E REATIVIDADE

Reatividade:

Não disponível

Estabilidade química:

Estável. Este material é estável, transportado e armazenado sob condições normais, ou seja, 21,1°C, contanto que o recipiente permaneça fechado e que não esteja exposto a materiais incompatíveis.

Possibilidade de reações perigosas:

Pode ocorrer. A exposição a altas temperaturas (acima de 365° C) ou queima podem gerar Hidrogênio, Fósforo e Óxido de fósforo.

Condições a serem evitadas:

Evite exposição à luz ou calor na presença de umidade – Não expor o produto a temperaturas acima de 365° C.

Não pressurizar, cortar, soldar, perfurar, triturar ou expor estes recipientes ao calor ou fontes de ignição.

Materiais incompatíveis:

Hidrocarbonetos hidrogenados, agentes oxidantes, especialmente Oxigênio e Halogênios, ácidos e ligas contendo Cobre e Alumínio.

Produtos perigosos da decomposição:

A decomposição térmica ou queima deste produto pode produzir Hidrogênio, Fósforo, Óxido de Fósforo.

INFORMAÇÕES TOXICOLÓGICAS

Toxicidade aguda: LC50 = 20 ppm, 01 h, ratos

Corrosão/irritação da pele: Irritação da pele.

Lesões oculares graves/irritação ocular: Irritação ocular.

Sensibilização respiratória ou à pele:

Pode causar sufocamento rápido.

Pode ocorrer arritmia cardíaca e danos ao sistema nervoso central.

Mutagenicidade em células germinativas:  Não disponível.

Carcinogenicidade: A Fosfina não está listada na NTP, na OSHA ou na IARC como cancerígeno para os seres humanos.

Toxicidade à reprodução: Não disponível.

Toxicidade para órgão – alvos específicos – exposição única: Não disponível.

Toxicidade para órgãos – alvos específicos – exposição repetida: Não disponível.

Perigo por aspiração: Não disponível.

INFORMAÇÕES SOBRE TRANSPORTE

Regulamentações nacionais e internacionais

Terrestre (ferroviário, rodoviário): Agencia Nacional de Transporte Terrestre – ANTT

  • DECRETO 96044 – Regulamento para o Transporte Rodoviário de Produtos Perigosos.
  • RESOLUÇÃO 420 – Aprova as Instruções Complementares ao Regulamento para o transporte Rodoviário de Produtos Perigosos.
  • NBR 7500 – Símbolos de risco e manuseio para o transporte e armazenamento de materiais.
  • Número ONU: 2199
  • Nome apropriado para embarque: FOSFINA
  • Classe/subclasse de risco principal e subsidiário: 2.3 e 2.1
  • Número de Risco: 263
  • Grupo de embalagem: Não aplicável
  • Perigo ao meio ambiente: Esta substância não é considerada como poluente marinho pela ANTT.
  • Simbolo para o transporte terrestre, marítimo e aéreo: 

 

               

        2.3 – Gás Tóxico                                 inflamável

Marítimo (marítimo, fluvial, lacustre): Agência Nacional de Transportes Aquaviário – ANTAQ

  • IMDG – International Maritime Dangerous Goods – Code
  • DPC – Diretoria de Portos e Costas do Ministério da Marinha – Norma-5
  • UN number: 2199
  • Proper shipping name: PHOSPHINE
  • Class or division: 2.3
  • Subsidiary risk: 263
  • Packing group: P200
  • Marine pollutant: No

Aéreo

  • ICAO-TI – International Civil Aviation Organization – Technical Instructions
  • IATA-DGR – International Air Transport Association – Dangerous Goods Regulations
  • ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil
  • Resolução n° 129 de 08 de dezembro de 2009
  • RBAC n° 175 – Regulamento Brasileiro da Aviação Civil para o Transporte de Artigos Perigosos em Aeronaves Civis.
  • IS n° 175-001 – Instrução Suplementar – IS
  • UN number: 2188
  • Proper shipping name: PHOSPHINE
  • Class or division: 2.3
  • Subsidiary risk: 263
  • Packing group: P200
  • Marine pollutant: No

REGULAMENTAÇÕES

As seguintes leis relacionadas são aplicadas a este produto. Nem todos os requerimentos estão identificados. O usuário deste produto é o único responsável pela obediência de todas as leis Federais, Estaduais e Locais.

Regulamentações específicas de segurança, saúde e meio ambiente para o produto:

  • Portaria 3214 – NR-15 – Anexo 11
  • Lei 9605 – Lei de Crimes ambientais
  • Norma ABNT NBR 14725-4:2012, Anexo A – Instruções para elaboração de uma FISPQ.

Pictogramas:

   

OUTRAS INFORMAÇÕES

A ELEBRATEC recomenda que todos que manipularem este produto leiam com atenção as informações contidas nesta página, visando com isto esclarecer e deixá-las cientes dos riscos relacionados ao produto e, desta forma, contribuir para minimizar (ou até evitar) acidentes que venham a causar danos ao meio ambiente e/ou à saúde do próprio usuário ou de terceiros.

“As informações contidas nesta página de informações de segurança são fornecidas sem ônus para nossos clientes. Todas as informações técnicas e recomendações aqui contidas são baseadas em testes e dados provenientes de publicações técnicas especializadas. Uma vez que a ELEBRATEC não tem controle sobre o uso do produto aqui descrito, esta não assume nenhuma responsabilidade por perdas ou danos causados pelo uso impróprio do mesmo”.

Referências

https://pt.wikipedia.org/wiki/Fosfina

Rolar para cima